Aditivos para concreto e argamassa

24 de abril de 2016

Hoje na construção civil brasileira, um dos principais materiais consumidos para estruturas de pequeno, médio ou grande porte é o concreto, pela sua grande resistência e facilidade de manuseio. O concreto porém tem suas limitações, geralmente bem conhecida pelos construtores, e para contornar diversas dessas limitações, existem os ADITIVOS,  que permitem que o material adquira características específicas, de acordo com o que a situação exigir.

Segundo a NBR11768:2011, os ADITIVOS , são produtos adicionados durante o processo de preparação do concreto, em quantidade não maior que 5% da massa de material cimentício contida no concreto, com o objetivo de modificar propriedades do concreto no estado fresco e/ ou endurecido.

Abaixo as principais propriedades que os aditivos podem modificar no estado fresco e endurecido :

  • Consistência;
  • Trabalhabilidade;
  • Bombeamento;
  • Resistências Mecânicas;
  • Durabilidade;

Como consequência, promove as seguintes melhorias:

  • Diminuição da permeabilidade;
  • Diminuição da retração;
  • Diminuição do calor de hidratação;
  • Diminuição ou aumento dos tempos de pega (retardar ou acelerar);
  • Diminuição da absorção de água;

 

A efetividade de cada ADITIVO pode variar dependendo de sua concentração no concreto/ argamassa, tipo de material cimentício, temperatura ambiente e dos materiais constituintes do concreto, energia de mistura, tempo de adição e variação dos constituintes dos mesmos. Além do efeito principal, os aditivos podem apresentar algum efeito secundário, modificando certas propriedades no concreto.

 

TIPOS DE ADITIVOS


A norma NBR 11768 (ABNT, 2011) classifica os aditivos como:

  •  Aditivo redutor de água / plastificante:  Apresentam uma capacidade de redução de água de 5 a 12 % com relação ao concreto sem aditivo. Podem apresentar funções secundárias de retardo de pega (plastificante retardador – PR) e aceleração de pega (plastificante acelerador – PA), ou não possuir função secundária sobre a pega (plastificante – PN).
  • Aditivo de alta redução de água / superplastificante tipo I: Permitem maior redução da quantidade de água, de 12 a 20 % Podem apresentar funções secundárias de retardo de pega (superplastificante tipo I retardador – SPI-R) e aceleração de pega (superplastificante tipo I acelerador – SPI-A), ou não possuir função secundária sobre a pega (superplastificante tipo I – SPI-N).
  • Aditivo de alta redução de água/ superplastificante tipo II: Oferecem altas taxas de redução de água > 20%, além da grande manutenção de trabalhabilidade, sem o comprometimento de pega e até favorecendo significativamente as resistências mecânicas. Podem apresentar funções secundárias de retardo de pega (superplastificante tipo II retardador – SPII-R) e aceleração de pega (superplastificante tipo II acelerador – SPII-A), ou não possuir função secundária sobre a pega (superplastificante tipo II – SPII-N).
  •  Aditivo incorporador de ar (IA): aditivo que permite incorporação, de microbolhas de ar, uniformemente distribuídas, que permanecem no material no estado endurecido.
  • Aditivo acelerador de pega (AP): aditivo que diminui o tempo de transição do concreto do estado plástico para o estado endurecido.
  •  Aditivo acelerador de resistência (AR): aditivo que aumenta a taxa de desenvolvimento das resistências iniciais do concreto, com ou sem modificação do tempo de pega.
  • Aditivo retardador de pega (RP): aditivo que aumenta o tempo de transição do concreto do estado plástico para o estado endurecido.Outras nomenclaturas usuais no mercado:
  •  Aditivos polifuncionais/multifuncionais: são aditivos químicos redutores de água/plastificantes, que permitem dosagens superiores aos plastificantes convencionais, conferindo maior trabalhabilidade e/ou redução de água.
  •  Hiperplastificantes: são aditivos definidos na NBR 11768 (ABNT, 2011) – Aditivo de alta redução de água/ superplastificante Tipo II.Além dos aditivos classificados pela norma NBR 11768 (ABNT, 2011), existem outros chamados de aditivos especiais, utilizados em casos mais específicos. Seguem alguns exemplos:
  • Aditivos modificadores de viscosidade;
  • Aditivos inibidores de corrosão;
  • Aditivos redutores de permeabilidade capilar;
  • Aditivos retentores de água;
  • Aditivos aceleradores para concreto projetado;
  • Aditivos redutores e compensadores de retração por secagem;
  • Aditivos redutores de reação álcali-agregado;
  • Aditivos para preparação de concreto extrusado e vibro-prensado;
  • Aditivos controladores de hidratação;
  • Aditivos expansores.
  • Aditivo incorporador de ar de alta performance (formador de espuma).

 

Bibliografia

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 11768: Aditivos químicos para concreto de cimento Portland – Requisitos. Brasil, 2011.

MEHTA, P. K., MONTEIRO, P. J. M. Concreto: Microestrutura, Propriedades e Materiais. 3. ed., São Paulo: Ibracon, 2008. 674 p.

Portland Cement Association (PCA). Diseño y control de mezclas de concreto. Technical Bulletin, 2003.

RAMACHANDRAN, V. S. Concrete Admixtures Handbook: Properties, Science, and Technology. 2nd ed. New Jersey: Noyes Publications, 1995. 1153 p.

 

Soluções na medida para diversas necessidades na construção e manutenção.

ENTRE EM CONTATO CONOSCO.

contato@eltechquimica.com.br

(11) 2378-2405

Compartilhe essa postagem

Mais Postagens

MANUAL ORIENTATIVO COM SUGESTÕES DE COMO EFETUAR REPAROS EM PISOS DE CONCRETO PARA USO INDUSTRIAL

Neste primeiro capítulo do trabalho estaremos apresentando nossas soluções com base em experiências práticas com produtos, os quais tem tido êxi...
Leia Mais >

Nosso catálogo está no ar!

A eltech tem o prazer de apresentar o catálogo de produtos 2017. Nele vocês irão encontrar as nossas principais soluções para...
Leia Mais >

Revestimentos de Alto Desempenho

Os Revestimentos de Alto Desempenho (RADs) como são comumente chamados, são materiais compostos por resinas com ou sem solventes, endurecedores e a...
Leia Mais >